terça-feira, 8 de novembro de 2011

Impressões do Brevet dos Voluntários

Hoje três voluntários para o próximo domingo concluíram o Brevet dos Voluntários. Esse é o último teste do percurso escolhido e já podemos adiantar que devido à dinâmica da cidade vamos fazer algumas alterações na rota de modo a tornar o brevet mais fluido, mais fácil será difícil pois foi um dia puxado para os três audaciosos, embora tenham completado em 12 hs e 50 minutos.
A primeira questão diz respeito à quilometragem. Os programas on-line de quilometragem desenham curvas 'quadradas' e os 201 km do percurso se transformaram em 208 a 210 km de acordo com os ciclocomputadores e o GPS levado pelo grupo. Este perdeu o sinal entre prédios do centro e em alguns trechos da Floresta da Tijuca.
Sugestões:
- Pneus: evitem pneus muito finos e de perfil baixo (26 X 1.0 e 700 X 23). Embora a cidade esteja passando por uma campanha de recapeamento de vias (e a rota da prova conta com 20 a 30 km de asfalto novo), as irregularidades são frequentes e tais pneus ficam mais suscetíveis a furos e desconforto;
- Hidratação: muito importante se hidratar antes da prova. O calor foi forte apesar do sol encoberto por nuvens. Molhar o rosto e o corpo pode ajudar a reduzir a temperatura e evitar superaquecimento;
- Proteção solar: usar roupas de ciclismo que cubram braços e pernas, sem esquentar é uma saída, mas o protetor solar para nuca, rosto e demais partes é bem importante;
- Óculos escuros: de preferência esportivos que cobrem a lateral dos olhos, sol, vento, fumaça, poeira e maresia castigam os olhos o dia todo;
- Orientação: fundamental estudar a ROTA antes e se familiarizar com o que cada julga serem pontos críticos de mudança de ruas e avenidas. No dia do evento leia e acompanhe a rota na planilha que será fornecida pela organização. Nesta prova a orientação é um tempero a mais no desafio normal de percorrer 200 km. Diante de uma dúvida vale a pena perder alguns segundos para checar a planilha confrontando as informações dela com um ciclocomputador aferido. Seja esperto, pare somente o necessário, nos PCs seja objetivo, faça o que tem que fazer e continue a pedalar. Cheque a planilha no PC para o próximo trecho, memorizando referências desta etapa, assim será menos provável ter que parar entre um e outro PC para se orientar, mas se tiver dúvida pare. É melhor que pedalar a mais por erro de orientação. Como não é uma corrida a organização NÃO sinaliza o percurso, orientação é responsabilidade do participante.
- Companheirismo: uma excelente dica para concluir o brevet é seguir em grupo. Seja de amigos com quem você já pedala ou com novos amigos que você acabou de conhecer e descobriu que pedalam no mesmo ritmo que você. Serão uma tremenda ajuda nos trechos de trânsito pesado e de vento contra
- Humildade: essa prova é pesada, não menospreze o tamanho do desafio mesmo que você já tenha pedalado 300, 400 ou 600 km. Pedalar 200 km dentro da cidade é bem diferente de 200 km na estrada. Há muito mais paradas forçadas em sinais, cruzamentos e mesmo nos PCs (o dobro de um brevet 200 convencional), portanto o referencial de um treino em estrada cai por terra.

Outras constatações:
- O tempo para chegar aos PCs 1 e 2 é mais que suficiente, apesar de longas subidas onde seguimos mais lentamente. Tivemos um pneu furado entre os PCs 1 e 2 e mesmo com o conserto chegamos 50 minutos antes do fechamento do PC 2;
- O vento contra na praia da Barra é certo, pode ser forte ou fraco, mas um trecho (ida ou volta) terá muitos kms de vento contra;
- Há muitas alternativas de alimentação no caminho, mas se você tem alguma restrição alimentar seja precavido pois pode não haver sua necessidade na beira da rota;
- Dificilmente será possível encontrar lojas de bicicleta e oficinas abertas;
- Lembre-se de se hidratar depois de completar o Brevet e de começar a se preparar para o 300 em 2012.
Boa prova a todos!

13 comentários:

  1. Valeu gente, muito obrigado pelas dicas!!!!!Até sabado na reunião!!!


    Paulo Cesar Valdez - Teresópolis

    ResponderExcluir
  2. Vão mudar a rota de novo? Quando será divulgada a rota definitiva? De que adianta estudar o trajeto se vocês ficam mudando até a última hora?

    Quanto ao trajeto, fiz partes dele a título de treino e achei muito ruim. É Audax para mountain bike mesmo. São poucos os trechos com pavimentação decente.

    É corrida de obstáculos também, com aquele mar de gente no Aterro, tanto nas cicovias quanto na via fechada para o trânsito de carros.

    ResponderExcluir
  3. Faremos mudanças sutis para melhorar o desenrolar da prova. Todo o estudo da rota atual terá sido válido.
    O brevet urbano é um desafio muito maior que os demais Brevets de 200. Completá-lo com todos os 'obstáculos' de uma rota urbana é um estímulo à índole aventureira do ciclista de longa distância.
    Mas se o amigo anônimo estiver pensando em desistir face a estas características, identifique-se que lhe damos crédito do valor da inscrição para o Brevet 200 de Rio das Ostras.
    Forte abraço
    Edu

    ResponderExcluir
  4. O trajeto terá que ser feito pela ciclovia de tijolinhos na reserva? E na praia da barra, leblon, recreio, ipanema, copacabana, botafogo, aterro?
    É muito mais perigoso trafegar pela ciclovia nas praias do que na própria faixa de rolamento.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Amigo Anônimo...
    Os obstáculos da "rota de nossa vida" estão ali para crecermos...
    Seja valente e integente, como o Super Randoneurs devem ser!
    Te vejo no Brevet 200 Urbano/Audax Rio de domingo, o mais desafiador do Brasil!
    Abs

    ResponderExcluir
  6. A ciclovia de tijolinhos da Reserva é uma forte recomendação devido à segurança. Na pista os carros passam em alta velocidade e há trechos de paralelepípedo e sinalizadores.
    No aterro só será preciso usar a ciclovia se as pistas já estiverem abertas aos carros (a partir de 19hs).
    Leblon e Ipanema a rota foi alterada para Ataulfo de Paiva e Visconde de Pirajá, já que a parte aberta aos carros é em contra-mão à rota da prova.
    Túnel Novo de copa para Botafogo pela ciclovia já que o PC fica na ciclovia, Praia de Botafogo idem.
    No mais não será obrigatório seguir pela ciclovia.

    ResponderExcluir
  7. Bruno Henrique Matos8 de novembro de 2011 21:13

    Tenho uma dúvida: Quem tem bike speed terá alguma desvantagem para quem vai de mountain bike? Eu tenho as duas e minha namorada só tem speed. Com qual bike ir?

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Parabenizo a organização pela coragem nas alterações tempestivas! E já que puxei o saco (rrrrsss) gostaria de sugerir mais uma. APós o Via Parque, invés de subirmos a ponte e fazermos o balão próximo ao Condomínio do Pan, sugiro atravessarmos o sinal em frente ao Via Parque e pegar a ciclovia na ETNA. É um pequeno trecho, cerca de 200mts. que nos levará em segurança à Abelardo Bueno. Mais uma vez parabéns! Everton Jordão

    ResponderExcluir
  9. Ano passado andei nos tijolinhos,desviei de carros,andei pelo aterro,no sambodromo fecharam a rua desviando o caminho e nao conhecia nem a rota fui seguindo uns malucos que pedalaram pra cacete um deles foi o Mauricio Hellman(Super Rondonneur) uauauauauua se nao tiver surpresa e adversidades não é Audax,tem que ter superação.Khristian Huback

    ResponderExcluir
  10. Bruno,
    Essa é uma questão muito pessoal. Depende da adaptação de cada um à sua bike. Nos últimos anos temos visto um equilíbrio entre os dois tipos tanto na largada quanto na chegada, então não dá pra afirmar que uma seja melhor ou pior que a outra. Mas acreditamos que o uso de um par de pneus um pouco mais grosso pode ajudar no conforto e na resistência a furos.

    ResponderExcluir
  11. Edu, eu entendi q é uma "sugestão" a de evitar esses pneus mais finos, mas vc acha mesmo q não é nada recomendável? Uso um 26x1,10 (a uns 90 ou 100 psi) e nem acho ele tãããão fino assim mas, claro, responde muito mais às imperfeições. Meu dilema é o seguinte: botar de última hora um pneu mais pesadão pra eu arrastar, mas q me deixe mais à vontade, ou manter o q tem dado certo, leve pra rodar, mas ter q pedalar mais "na maciota" em diversos momentos. Ou seja, minha dúvida é se os terrenos ruins são mesmo maioria (ou "o quão frequentes são as irregularidades apontadas") ou se dá pra contornar.
    minha alternativa ao 26x1,10 seria um 26x1,75, liso.
    Abraço,
    Nino

    ResponderExcluir
  12. Oi Nino,
    Vai como você está acostumado que é melhor. E digo isso pois você está consciente da limitação do pneu muito fino em pisos irregulares. Vale mais a recomendação de ser cuidadoso e a sugestão do pneu menos fino expressa bem a necessidade de atenção.
    Abs
    Edu

    ResponderExcluir
  13. Foi retirado da rota o trecho em Botafogo que passa pelas ruas Voluntários e São Clemente? Então o PC ficaria no retorno na rua Humaitá?
    Abraços à todos, e até Domingo.
    Rafael Gigante

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.