quinta-feira, 7 de julho de 2011

Relato Brevet 600 - Fininho


Escrevo agora sobre a maior distância e aventura ciclística que eu já participei.

Andar por aí de bicicleta é o máximo, pedalar entrando e saindo de cidades é muito bom, mas o que me surpreendeu foi que isso tudo foi feito praticamente direto, sem descanso, porque dizer que dormir 20 minutos em duas noites não é nada.

Vamos lá, apesar de saber que a jornada do Audax 600km seria longa, a rotina de trabalho, estudo e tarefas não puderam ser interrompidas nos dias antes do Audax 600, isto é, trabalhei no feriado e também na manhã do dia de largada, só para depois do almoço pegar o carro e ir para Rio das Ostras.

Dessa vez a programação me permitiu chegar com 4 horas de antecedência, confraternizar com os demais audaciosos e jantar com calma antes da largada.

Nem tanto né, o jantar foi dentro da reunião técnica e a hora antes da largada passou tão rápido que nem deu para tirar um cochilo, foi janta com reunião, preparação e largada.

Largada e o batedor da Guarda como sempre vai acelerando a 40km/h, talvez impulsionado pela agitação e pressão da galera. Saí de cara com o pessoal do “fast-audax”, apelido daqueles que geralmente terminam com tempos baixos, e junto com o batedor demos a volta na Roberto Silveira que estava fechada para o Festival de Jazz, pegando um trecho de terra e areia até chegar no asfalto e seguir para Barra de São João e a brincadeira começou a ficar mais séria.

Ritmo forte, na estrada Serramar acabei ficando para trás e a partir daí nada de ver o pessoal que estava à frente, pedalei sozinho até a praça em Macaé, onde consegui encontrar a galera da frente.

O primeiro PC foi rápido e saímos todos novamente, mas o destino queria que eu pedalasse sozinho mesmo. Logo depois da saída do PC meu pneu traseiro furou em um buraco que peguei e a galera foi novamente embora, parei, olhei em volta e fui para uma área iluminada a uns 50m de distância e troquei a câmara de ar.

Novamente na pista e sozinho, segui para Quissamã pelas estradas tão conhecidas mas totalmente desertas, no meu ritmo. Ninguém chegava perto, toda hora eu olhava para trás e eu também não chegava em ninguém que estava a frente, se eu não conhecesse as estradas por lá teria achado que estava em um caminho errado.

Com a moral baixa por andar sozinho e o corpo cansado de um sono que começou a bater quando cheguei no PC de Quissamã acabei ficando por uma hora e meia. Não me sentia mal e nem consegui dormir com a adrenalina, mas não estava bem, conheço meus limites. Esperei bastante e decidi seguir para Farol quando o Sebastião levantou acampamento.

Não durou muito, o coroa está pedalando bem. Falei com ele que não estava bem, sugeri que ele seguisse, então meu cansaço e sono fez com que eu parasse em um ponto de ônibus para tentar tirar um cochilo. Eu sentei, recostei, joguei as pernas por cima da bicicleta e fechei os olhos. Não sei que horas eram, o sono era grande mas nem sinal de eu dormir, estava ali parado, de olhos fechados e tenso, nada de dormir.

Se foram uns 15 minutos eu acho e levantei melhor, apesar de não ter dormido. Pedalei sozinho novamente até depois de São Martinho, reencontrei o Tião e agora com o Amílcar já com o dia claro e fomos conversando até perto de Mineiros.

Eu e Tião paramos em uma padaria e compramos pão, não tinha café, levamos os pães até um boteco mais a frente e foi nosso café da manhã.

Nesse momento vimos o Nei, Leandro o outro rapaz que não lembro o nome, estavam voltando!!! Maneiro, queria eu ter mantido essa disposição para acompanha-los. Voltando ao café da manhã, não gosto de café, mas aquele caiu muito bem, e por falar nisso bebi café várias vezes nesse Audax para espantar o sono.

Indo para Farol de São Tomé meu pneu furou novamente, mas dessa vez já era dia e Sebastião insistiu em me esperar. Trocada a câmara de ar, seguimos até o nosso próximo PC em Farol.

Esse PC para mim foi o mais demorado eu acho, me alimentei, hidratei, consertei as duas câmaras de ar furadas e esperei muito tempo antes de voltar a pedalar. Tião me chamou mas falei para ele ir na frente que eu já iria em seguida, que nada, fiquei ali, tinha um carro da organização para me levar embora, eu nem estava preocupado mas o Thiago e o Beto me mandando ir embora.

Não mesmo, 200km e pouco, e eu batendo pino, meu corpo mandava eu ficar parado e eu obedecia.

Depois desse tempo todo eu adotei um novo grupo e tive oportunidade de pedalar bastante com eles, Ana, Clemar, Khristian e Cláudio, galera super divertida e super cabeça. No começo como sempre fiquei bem quieto, novos amigos e eu ali cansado. Várias brincadeiras e vários assuntos e fui me recuperando, tive que fazer mais uma parada em outro ponto de ônibus para fechar os olhos um pouco e depois continuar. A energia tão boa da turma foi carregando minhas baterias e ao chegar em Quissamã novamente eu já estava melhor.

A volta para Tocolândia o grupo estava maior, além de nós cinco, ainda tinham a Silvia,o André, o Marcio, o Marcus, o Alex, e o grande Manoel, talvez até mais gente não lembro.

Tocolândia tarde da noite, quase 23h, e agora temos que dormir um pouco.

Meu plano inicial de não dormir foi esquecido desde o primeiro PC, eu já estava acordado desde a sexta-feira de manhã e era tempo demais para ficar acordado, ia acabar caindo pela estrada como quase aconteceu. Acabei dormindo uns 15 ou 20 minutos, porque meu pai (Manoel) preocupado com o horário me chamou uns 10 minutos antes do meu relógio despertar. Tudo tranqüilo, troquei de roupa e colocamos os pés nos pedais.

Maçaroca (Moisés), Fernando, eu e uma galera saímos dos 400km e continuamos para Região dos Lagos para fechar os 200km restantes. Logo depois de Tamoios vimos passando do outro lado da rua um ciclista sozinho e identifiquei que era o Ivan, um tempo depois também passou pela gente o Nei e o Leandro (parabéns aos 3 rapazes pelo desempenho!).

Pedalando e pedalando, o sono aumentando e avisei que eu ia parar em um ponto para tirar um cochilo, não estava aguentando, mas para minha surpresa, todos quiseram parar e acabou que o ponto ficou cheio de gente dormindo com as bicicletas largadas em volta sem nenhuma preocupação, nem dava mesmo, o sono era maior.

Acordei com um grito e sonolento vi mais gente passando de volta eu acho, ou sonhei com isso, tudo estava confuso, levantamos e seguimos viagem.

Uma parada rápida em um posto de gasolina em Iguaba, um coroa já calibrado de cachaça começou a me perguntar sobre bicicleta, se os meus pneus eram “mucissos” ele falava, e entendi na nossa língua como maciços mesmo, e expliquei umas 4 vezes que tinham câmaras de ar e se colocava muita pressão, mas acho que ele não entendeu, falei tchau com boa noite e fomos embora.

Araruama foi a pior parte, a cidade é longa e com carros em alta velocidade, final de festa com gente espancada, caída pelo chão e um cara até gritou para chamar a polícia, sinistro o local.

Saímos de Araruama e depois de um tempo viramos para Praia Seca, estrada já velha conhecida de vários pedais.

Amanheceu e paramos logo na primeira padaria que segundo informação de uma mulher de bicicleta já iria abrir. Uma deitada básica na porta da padaria antes de abrir e mais um dia de café da manhã na estrada com café, pão com queijo e para alívio aquele banheiro esperto para me livrar do peso morto.

Nessa altura do campeonato eu já me sentia melhor, mais disposição para pedalar e o sábado de sufoco ficou para trás. Fomos embora por Figueiras, Monte Alto nessa estrada tão bonita com salinas a toda volta. Tiramos fotos pela estrada, na eclusa da Álcalis e das barcaças abandonadas.


Mais um pouco passamos na entrada de Arraial e viramos para Cabo Frio. O último PC já estava bem perto e rapidinho chegamos, mais um PC completo, vitamina de banana, pão com frango, estou satisfeito com os PC´s e novamente encontramos com o Beto e o Thiago.

Por falar nisso, em todos os 7 PC´s, só tinham o Beto, Thiago, Thaís, Carol e Luciana, esses foram guerreiros tanto como os que pedalaram. Parabéns para vocês pessoal pelo apoio e organização.

Agora faltam 60km para acabar o Audax 600, apenas 10% e foram esses 10% pedalados com vento na cara, já durante o dia e com sol querendo esquentar que foi complicado.

A bicicleta não rendia mais, as subidas eram intermináveis do nosso ponto de vista, mais um sufoco para vencermos até que pouco antes da Ponte Estaiada em Rio das Ostras, nosso amigo Maçaroca, teve um furo de pneu que ele olhou rápido para baixo e um carro entrou na frente dele e foi aquela batida na traseira do carro. Ele foi experiente e conseguiu segurar a bicicleta sem cair, mas o pneu furado teve de ser consertado.

Depois do conserto pegamos a Roberto Silveira e viramos para Tocolândia para fechar nosso AUDAX 600km, juntos Felipe, Marcus, Manoel, Moisés, André e o Aido que sumia e aparecia repentinamente durante todo o trajeto.


Galera grande satisfação em pedalar com vocês, virão mais e vamos encarar novamente.

AUDACIOSAMENTE INDO ONDE POUCOS ENCARAM IR.

Obrigado,
Beijos e abraços
Felipe Souza (fininho)
Veja todas as fotos do Fininho.

6 comentários:

  1. Foi um grande satisfação pedalar e terminar com você Fininho, Moisés, Manoel, Andre... Foi emocionante. Grande abraço \o/

    ResponderExcluir
  2. Valeu Felipe, o terceiro audacios comigo e com o Leandro era o Ennio. Durante o Audax eu estava preocupado com voce, pois não vi quando cruzamos o caminho, só depois entendi que voce estava na tal padaria no caminho, mas sabia que voce iria completar. Parabens!!!! Nei Esteves.

    ResponderExcluir
  3. Poxa Fininho, eu gostaria muito de poder pedalar os 1200 km do PBP com você mas, pelo jeito, não vai ser possível. Vamos aguardar o próximo de 2015, Sebastião.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do relato! Ter pneu furado à noite não é nada agradável. Quem dirá furar a 5km de qualquer coisa aberta (pois a bomba de encher não quis funcionar), mas isso é Audax, tudo pode acontecer, temos que estar preparados! Fico tremendamente feliz por ver nosso ESTADO DO RIO com tantas realizações! Abrs, Super Randonneur!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado a todos Randonneurs e Super Randonneurs por mais essa missão cumprida. Marcus, Nei, Tião, Ivan e todos mais, abraços.

    ResponderExcluir
  6. Parabens Fininho !!!!!
    Sensacional !!!!
    Parabens a todos os AUDACIOSOS !!!
    Muita emoçao , coragem e aventura.
    Abs
    Monica e Gabriel ("Granja")

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.