quarta-feira, 4 de maio de 2011

Uma pesquisa sobre equipamentos no Paris - Brest - Paris 4

Para determinar se há relação entre os equipamentos escolhidos e a velocidade dos ciclistas procuramos cruzar as informações dos tempos de prova oficiais do PBP e os equipamentos que os ciclistas usavam. Cada grupo de largada (80/84 e 90 horas) foi analisado separadmente. Na nossa amostragem os atletas do grupo das 80/84 horas terminaram a prova entre 50 e 83:14 horas, enquanto o grupo das 90 horas levou de 72:15 a 90 horas para completar os 1228 km do PBP.
Depois de examinar 14 opções de equipamentos no grupo de 90 horas, achamos as correlações com os tempos de prova. Atletas com luzes a dínamo foram mais lentos que os que usaram faróis a pilhas e baterias, e ciclistas com bolsas de guidão foram um pouco mais lentos que os que não usaram tais bolsas. Além disso, quanto mais bolsas e raios nas rodas mais tempo os atletas do grupo das 90 horas levaram para completar a prova (não ilustrado nos gráficos).

Entretanto no grupo de 80/84 horas nenhum desses fatores foi significativo, e as tendências foram invertidas tanto para cubos dínamos quanto para bolsas de guidão. O grupo de 80/84 horas proporciona uma oportunidade melhor de testar os efeitos dos equipamentos já que estes ciclistas são mais parecidos em suas motivações: muitos estão tentando 'fazer tempo'. Entre estes ciclistas com objetivos parecidos, equipamentos de corrida não estão relacionados a tempos melhores.
No grupo de 90 horas, onde a escolha de alguns equipamentos está significativamente relacionada aos tempos finais, os ciclistas são menos homogêneos. Estes ciclistas estão mais propensos a pedalar bicicletas completamente equipadas e com cubos dínamo. Outros atletas tentam se auto-superar. Estes ciclistas tendem a imitar os equipamentos utilizados pelo grupo de 80/84 horas, preferindo bicicletas de corrida e pouco equipamento. Nós achamos que as diferenças de velocidade entre atletas do grupo de 90 horas não se devem ao equipamento em si, mas à diferença de objetivos entre os dois grupos. 
As diferenças de performance podem mudar de acordo com a escolha de equipamentos, no entanto, os resultados da pesquisa sugerem que outros fatores que não a escolha do equipamento são mais importantes. Durante o PBP 2007, pequenos ganhos ou perdas durante a pedalada na estrada são menos importantes que o tempo gasto nos Postos de Controle. Muitos dos efeitos do equipamento previstos pelo modelo numérico do PBP foram muito pequenos (a redução de peso de 1 kg poupa menos de 20 minutos). Por outro lado, vários relatos da prova sugerem que o ciclista médio gastou de 15 a 20 horas nos postos de controle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.