segunda-feira, 30 de maio de 2011

Relato Brevet 400 - Ennio Oliveira


Olá, galera Audax!
No início era só curiosidade pra saber o que era percorrer a distância que a elite dos ciclistas de estrada fazem nas provas que via pela internet: 200 km! E ao final daquele Audax Rio Urbano de novembro/2010, descobri grandes ciclistas, atletas amadores, anônimos, e quis fazer parte dessa turma, entrando de cabeça (sem pensar muito, senão você desiste) nessa aventura do ciclismo de grandes distâncias.  Após seis meses, quem diria, eis-me aqui prestes a ir para o 600 km.

A série Audax Rio 'das Ostras esta sendo uma grande experiência para mim. No 200K, o calor intenso e um certo vento persistente me cansou bastante. Aumentei os treinos e 1 mês depois fui para o 300K, que correu bem durante toda a noite, não fosse as carreiras dos cachorros “loucos por canela de ciclista” e meu joelho direito ter pifado nos últimos 60Km quando fui me arrastando pelas várias subidinhas do trecho final. Sabia que se fosse a prova dos 400K, não teria concluído. Fiquei assustado com essa possibilidade se repetir. Aproveitei os 2 meses que separavam a prova dos 400K para (tentar) me preparar como se fosse a de 600K. Treinava dois dias sim um não cerca de 60km num percurso bem legal que tracei cheio de pequenas subidas como no trajeto da prova, e mais o domingo especial, subindo as Paineiras até Jardim Botânico e voltando no caminho inverso.  Meu psicológico ficou um pouco abalado quando caí duas vezes na penúltima e última semana que antecediam os 400K. Até então, nos meus 9 anos de pedal só havia caído outras duas vezes. Pensei: “será que isso é um aviso pra não ir?”  Na noite anterior a viagem, preparando a mochila já 11 da noite, numa última calibrada dos pneus ... PUFFFFffff... o pneu dianteiro furou!  A incerteza aumentou e falei: “Senhor, se for pra não ir,  estoura mais um pneu até de manhã, vai?! Aí eu juro que entendo o recado!”   De manhã,  às 5 horas fui checar. Não, não tinha nenhum pneu vazio. Vamos pra Rio das Ostras!
Estava um pouco nervoso antes da largada. Minha cabeça não funcionou bem quando aprontei as malas e me dei conta na reunião técnica que havia esquecido um item de fundamental importância. O Pedro Zohrer (das bikes inclinadas) me salvou emprestando um colete reflexivo extra que tinha. Vocês sabem, não fosse ele, o regulamento me impediria de correr a prova – valeu Pedro! – mas não pude deixar de pensar, “Mais um aviso? O combinado não era esse!”    Quando me vestia para a prova, descobri outro furo! Não, não no pneu da bike, mas na minha cabeça que esqueceu outro item importante: o hipoglos!! Desta vez fui salvo na linha de largada pela única mulher participante da prova que levava um hipoglos tamanho família. Bem besuntado nos países baixos, estava finalmente pronto para mais de 20 horas de contato com o selim. Fui pro alinhamento e segundos antes do Thiago dar a largada escuto meu nome gritado por alguém. Era a moça da checagem. Eu não tinha feito a checagem!   Olha aqui, gritei, capacete, numeral, colete, luzes! Tudo certo, vai com Deus, disse ela! E foi dada a largada! E lá fomo nós pela estrada. Vai dar tudo certo, pensei. Afinal, meus amigos de luz me ajudaram em tudo até aqui, agora era persistir. Essa história é mais longa, mas basta deixar aqui que depois de vacas, paisagem, buracos, ciclistas de SP, erro de caminho, 20km a mais, PC’s, cansaço, macarronada (delícia), frio, incentivos, companheirismo, pedalar num grupo unido..., gritei bastante nos metros finais, contente por tudo, dividindo em pensamente sempre com meus amores (minha mulher e filha) mais esta conquista.
Esta é minha primeira temporada no Audax e tem sido tudo de bom. Pode ser repetitivo nos relatos que lemos após as provas, mas isso mostra que é fato. Tem de se enaltecer o trabalho que a organização Pedal 2 realiza nessas provas do Audax Rio, com os contatos das Prefeituras, os PC’s bem servidos, os  voluntários com uma dedicação que merecia medalha (aliás, taí a sugestão).  Vocês promovem essa oportunidade –  em vários níveis –  de se viver essa aventura, sentir essa energia e poder compartilhar depois boas estórias. Muito obrigado, valeu?!
Ennio, mais um ciclista audax.

2 comentários:

  1. Parabéns Ennio. Tivemos a oportunidade de pedalar juntos ainda no treinão do Audax Urbano e deu para perceber o excelente cliclista que vc é. Parabéns pela conquista.
    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Excelente relato, Ennio! Parabéns! O Audax Rio tem sido cada vez melhor e posso testemunhar isso também :) Show de pedaladas e de superações! Abrs e até os 600, se tudo correr bem!

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.