quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Dicas Ivan Rolim

No sábado (20/11) à noite recebemos e-mail do Ivan Rolim relatando sua passagem pelo Brevet 600 de Holambra. Seu e-mail é intenso e traduz muito bem como é importante saber treinar e se preparar para os Brevets. Mais até: é fundamental ter a cabeça no lugar durante a pedalada de longa distrância. 
Seguem as suas análises e dicas.
----------------------------------------------

Olá a todos,

Vocês devem estar se perguntando: 'ué, o Ivan mandando email sábado a noite, em pleno audax 600?' Sim. Eu não completei. Foi o PIOR audax de minha vida até aqui (já fiz 14 provas, esta foi a que mais matou o povo).

Pessoas 'de pernão' (como um triatleta, um ironman, outro DA SELEÇÃO BRASILEIRA), sofreram. Um deles desistiu!! Só para verem como foi! Razões?
1) A altimetria total dos 600km era de 5000m (5 serras de Campos do Jordão, já que a serra começa nos 600m e vai até 1650m). Até aí tudo bem, eu já sabia disso, e dava para fazer sim, já que a gente desssssssssssce, e aproveita parte da subida assim. Só que da forma como foi, não foi audax, foi treino para as olimpíadas! Perdi uns 5kg brincando!

2) O sol. Apesar de ter amanhecido 19°C, com sensação de 15° nas descidas, fez 36°C às 14h, e eu tirei foto às 15:30 mostrando 35°C em Holambra (e olhe que ali é um local mais frio). Na estrada chegou a 40°C FÁCIL FÁCIL. Só que na subida, tinha umas tão íngremes que nem a 10km/h de SPEED com GARFO DE CARBONO, dava. Conclusão: subi lentamente, E MUITA GENTE também. Isso significa sol na cara! Zero de vento. Bafo quente total. Alguém lembrado do Audax Rio 2010? Foi daquele jeito, APIMENTADO com váááááááárias subidas e descidas.

3) E mais. Eu molhei a cabeça umas 10x, e parei em 2 estabelecimentos para comprar 2 litros de água GELADA para JORRAR na cabeça. NADA! O sol matou. Até mesmo a água gelada parecia que era vento. Fiquei com insolação e com a pele tremendo, poderia até ter desmaiado (lembra, Bruno, do Audax 300 Campinas 2009?)

Aprendi muito mais com esse Audax.  Acho que foi o que mais aprendi. O que mais levamos na vida é o conhecimento. Não tem preço. E vou compartilhar com vocês. Ah, eu REFORÇO uma coisa. Tem gente aqui que fala 'ah, to chateado pq não completei UM AUDAX de 300km'. Pois é.......E EU, que não completei 3 (TRES!!!!!) audax de 600? Hein, Bruno? Foi o ano que mais me dediquei, para apenas ter 200, 300 e 400. Os megariders ainda não tem o Super Randonneur, quem sabe em 2011....

Então vocês podem fazer um de 600 no futuro e não completarem. Pois, para ficarem chateados mesmo, basta vencer meu recorde e ter QUATRO provas audax 600 sem completar. Fui com meu pai e um amigo dele de carro, acabou que deu certo ir de carro, porém o carro foi lotado, e fomos de madrugada. Só correria pura. Voltei dirigindo ainda. Fiz 255km pedalando. Mais de 2000m de subidas. E no carro, 3h pegando as estradas de Campinas e a Dutra.

Assim, vamos COMPARTILHAR com vocês O APRENDIZADO de hoje.
1) NÃÃÃÃÃÃÃÃÃO tentem seguir os ligeirinhos no começo de provas COM SUBIDA E DESCIDA. VÁ NO SEU RITMO. Vá lento! Vá nos 20, 25km/h. Para quê 30, 35? Nas provas Audax do Rio (geralmente sem serra), a gente pode se dar ao luxo de ir a 30, mas com subida e descida ?? Não faça isso. SEMPRE, SEMPRE a gente vê o povo querendo ir rápido. Dos 17 inscritos no Audax 600, ATÉ agora, 8 desistiram. Ainda não posso confirmar 100% isso. Mas foi por aí. A prova segue até amanhã, espero que o restante tenha garra e complete.
A propósito, Paulo Albuquerque chegou mais de 1h atrás de mim, ao contrário do Audax Rio de janeiro (não, não fico comparando tempos, só quis dizer que eu até estava bem). Mas eu já tinha desistido quando ele chegou. Ele foi TROCAR POR UMA MTB pq NÃO AGUENTAVA MAIS USAR SPEED, estava moído!! Quando viajei no carro para cá, ele ainda estava no hotel. Mais uma razão para EU voltar à MTB. Speed é bom, speed anda mais, SO QUE TEM QUE TREINAR MUITO, MUITO MESMO. Speed na descida nas estradas brasileiras é um SUICÍDIO, ela treme muito!
SPEED no Brasil ainda é !(@#*!()#()!@*#()!@#)(!@)#(!@.Geralmente é para quem tem $$$$$$, tem assessorias, faz triatlon, provas de 10-50km... sinceramente. Para quê um megarider vai ter uma speed? Para ir até Petrópolis mais rápido? Por quê? Será que a diferença vai compensar risco de acidente grave, desconforto, e peças caras?

Voltando......O ROGÉRIO (mto meu amigo do audax brasil, que quase sempre chegava em primeiro), ficou a poucos metros na minha frente, e ele estava MOÍDISSIMO! Como falei, eu estava bem. Ele tomou banho quente, e foi dormir. Ele quer continuar mas já falou que não vai garantir. Quando me despedi, ele estava no segundo sono!
O Richard (o famoso super 'velhinho' italiano), já que ele tem cabelo branco e mais de 60 anos (e ninguém perdoa), ELE SEMPRE COMPLETA os Audax. Pois é. Mas nem ele agüentou. Ele que fez o percurso, ele é organizador. MAS NÃO SEI SE ELE já está na estrada de novo (é capaz!), pois ele foi dormir no hotel, em outro quarto, enquanto Rogério dormia.

Voltando aos aprendizados.
2) SEMPRE subam na marcha leve (GIREM MAIS!!!!) não tentem ganhar velocidade com marcha pesada, porque no começo você voa, mas no km 200 você está morto. Isso muita gente ainda não aprendeu. Eu, por exemplo. Sempre eu tendo a querer usar a pesada. Bruno também! A GENTE FAZ ISSO INOCENTEMENTE. Mas não dá, minha gente. Nosso corpo não é uma máquina! Pedalar com mais giro nos dá força para, perto do final, podermos pedalar mais forte!

3) NAO USEM CAMISAS de outra cor, a não ser BRANCA, no Brasil em tempos de verão. PONTO. Eu tenho várias camisas, uma delas, da SPECIAL BIKE, azul escuro, e aquela do Brasil, verde, que Pablo conheceu. Eu acho mineiríssima. Pois é. PIOROU O CASO DA INSOLAÇÃO com ela. E tem aquela da DISCOVERY que Ashbel tem, lembram? NÃO USEM NO BRASIL. Vivemos num país tropical. Basta a camisa ser UM POUCO escura, um verde, azul, etc, PARA VOCÊ MORRER NO SOL. SEMPRE usemos camisas brancas. E ainda digo mais, vamos ver se a gente começa a usar BERMUDA BRANCA. Vi uns caras pedalando com essas bermudas, e eles garantem. A sensação de calor é menor!

4) Se você estiver QUASE sentindo sede (vocês sabem do que eu falo...), bebam!! beberiquem! NAO ESPEREM TER MUITA SEDE Para beber. Eu sempre faço isso (beberico) só que no audax de hoje, NEM ASSIM DEU CERTO. Pois não basta beber. TEM QUE MOLHAR A CABEÇA. A gente sente aquele calorão insuportável PORQUE NOSSA CABEÇA ESTÁ QUENTE. E não basta água morna. Na emergência, o jeito é usar a morna. MAS SEMPRE busquem água gelada. E USEM LOGO, pois a tendência é o sol ir matando, matando, matando.....e pronto, seu corpo foi nocauteado. Pode ir para casa.

Eu travei. Coisa que não acontecia. Eu subia a 6, 7km/h, E NÃO AGUENTAVA. Tanto por causa do sol quanto por causa do DESGASTE muscular. Quebrei fibras musculares, está tudo dolorido. DE SPEED !

5) NÃO PENSEM QUE O INTERIOR DE SÃO PAULO é FRIO, e o Rio é um inferno. TODA A REGIÃO SUDESTE e SUL, no verão, TORRA, meus amigos. No nordeste, norte e centro oeste, É PIOR, pois no inverno é mais quente. Conclusão: EM QUALQUER LUGAR, a gente sente os 40°C. ASFALTO é ASFALTO, não tem jeito. POR ISSO EU PREFIRO CHUVA. Eu encaro sim, chuva torrencial, 200, 500, 1000km. Sol, que mata, não dá. Você QUEBRA. Você desmaia. VOCE PODE ENTRAR EM COMA! Chuva, não. Pode até aumentar os riscos na estrada, mas tudo se dá um jeito, espera a chuva baixar....mas SOL escaldante???

6) O SELIM DE GEL não ajuda muito, só se você colocar no selim, pedalar uns 100km e tira-lo, daí pedalar mais 100 e por de novo. Por que? Porque ele libera a dor na bunda, mas causa outro problema, a virilha fica dormente a longo prazo. Pelo menos para mim.

7) ESSA POMADA do tipo 'Chamois Butt' e até mesmo vaselina está valendo. ELES SALVAM. não senti ABSOLUTAMENTE nada de dor ou assadura. MUITA GENTE reclamou de assaduras. MUITA gente. Aposto que alguns desistiram pelas assaduras. Na frança é COMUM usar, é como beber água.

Ah! Embora com tudo isso no audax, filmei muito e tirei fotos. VOU SIM fazer o vídeo. Mas já sabem, vai ser um final não muito legal, pq vai mostrar eu desistindo. Só que ESTAR LÁ foi um momento que não se repete. Você ali, vendo aqueles tobogãs, em pleno audax 600.

Agora, sobre a mudança de atitude minha para 2011.

Aqui, encerro as provas Audax de 2010 para mim. Pode até ser que eu faça o 200 de Holambra na próxima semana, mas para que? Eu já fiz no Rio. Ivan megarider com medalha Super Randooneur? Ainda não. A questão é: vocês sabem que os megariders querem chegar além, até ao Race Across America. Mas vejo que esse futuro no momento está ficando distante, pois todos precisam trabalhar e sustentar a atual vida, e menos e menos tempo estamos tendo. A gente chegou longe, mas é preciso mais ainda (dedicação) e a gente não tem tido isso no momento, e menos ainda assessoria esportiva, apoio, patrocínio, e nem mesmo reconhecimento em competições (se a gente vivesse fazendo as provas da FECIERJ e chegando em 1, 2, 3, 4 ou 5, tudo bem).

Talvez se organizarmos isso DIREITO, eu morando no Rio. Mas até agora, sem novidades. Vou vivendo em São Paulo e agora vai entrar mais provas e mais trabalhos. Vai ser uma etapa de dedicação. Mas vamos nos falando!

Assim, eu , claramente, informo aqui que AINDA vamos buscar o audax 600 e o 1200 da França e o Race Across America, mas eu (Ivan) vou me dedicar mais ao 200, 300 e 400 SOMENTE, como se só existissem essas provas, aliado aos megarides (os ambientais também) e alguma competição aqui e ali, e mesmo pedaladas para curtir (essas de 100km, com turismo), até que todos estejam treinados e utilizem todas as técnicas para não causar DNF (não finalizado).

É uma tristeza ENORME em ver alguém lutar muito, 2, 3 vezes, e nada.
Mas FAZ PARTE. Como diz Amyr Klink, PIOR é NÃO COMEÇAR (estou parafraseando, não sei de có a frase).

Tenham a todos um ótimo domingo!
Ivan Rolim

7 comentários:

  1. Parabéns Ivan. Nem só de vitórias nós vivemos. Os problemas e dificulades sempre estão presentes e nem por isto devemos desistir. Usemos isto como mais um dia de aprendizado na página das nossas vidas. O que parece ser um fracasso agora será a vitória à frente. Grande abraço e vida longa ao ciclismo \o/

    ResponderExcluir
  2. Fala meu amigo, parabéns pela sinceridade, obrigado por compartilhar suas experiências em uma situação que também vivenciei e que o grau de dificuldade foi sem dúvida uma licão que ainda não tinha passado. Foram detalhes as peças fundamentais para administrar essa prova, como você muito bem colocou, e ficam os aprendizados e o bem estar por ter tido cuca fresca pra narrar seus momentos nessa prova.

    Abração

    ResponderExcluir
  3. Ivan,irei discordar de algumas dicas suas e considerações:Acho que todos nós temos estratégias e objetivos,seguimos a risca para obtermos sucesso,pode até não acontecer.Falo por mim e não por mais ninguém!Nos últimos meses desde o AUDÁX 300,no Rio de Janeiro,venho aprendendo algumas lições e com isso passamos a melhorar nossas deficiências,já disse e ratifico acima de 600km,você precisa ter uma preparação especial se não, não vai completar.Aprendi isso com algumas pessoas que você citou e outras não,(Richard Dune e Oswaldo),acho que você não teve oportunidade de conversar com essas pessoas com mais profundidade durante as provas,se não com certeza você teria completado independente de agentes externos(calor).Sempre disse em meus depoimentos que sou aprendiz desse esporte chamado cicloturismo de longa distância(AUDÁX) e continuo sendo que isso fique claro.Vejo que você fala de uma maneira deselegante em relação a Assessoria Esportiva e as provas que são feitas pela Fecierj.(só para constar o AUDÁX RIO,já está no calendário oficial de 2011).Conheço o Claudio Santos Presidente e vai apoiar o AUDÁX RIO,este ano,conversei na premiação!Respeito suas considerações,mas há de se fazer ressalvas,este site é público,então vamos ser éticos em nossas opiniões!Acho que o AUDÁX RIO,está engatinhando nessa estrada,mas construindo com solidez sua infra-estrutura,não podemos comparar com alguns audaxes já estruturados e direcionados ao PARIS BREST! Mas se levarmos em conta o último resultado o RJ E SC foram os melhores resultados e não somos triatletas como você mencionou e eu nos meus comentários do meu relato,isso porque o Maurício não completou por que senão seria o melhor com 3 Brevets de 600km(para um começo nada melhor).Continuando vejo sim a importância de uma assessoria esportiva,logística,material e nutricional para este tipo de evento para quem é atleta amador faz a diferença, sem estas considerações não vai chegar a lugar nenhum.Quem me conhece sabe que ainda sou um aprendiz nesse esporte chamado ciclismo(speed/mtb).Mas com um planejamento e dedicação consegui alcançar meus objetivos.(Aqui abro um parênteses pois meus amigos ajudaram a conquistar esses objetivos seja do MTB OU SPEED(Mário Braz,Fininho,Christiano Goulart,Ashbel,Alexander,Carpes e Sebastião entre outros,muitos me ensinaram os primeiros passos e continuaram ao longos das provas FECIERJ).O resultado está aí 12hs Rodonel 1º lugar(vc estava lá),X TERRA BRASIL MTB 1º LUGAR,Montanha Cup 3º lugar,Lagos Cup 4º lugar,XCO MTB FECIERJ 2010 4º LUGAR E XCM MTB FECIERJ VICE-CAMPEÃO 2010(O 1º anda na frente do campeão brasileiro 8 vezes "Pacífico Delay"isso em 1 ano e 4 meses de dedicação,então acho que planejei adequadamente meus objetivos para obter sucesso.Acho que você deveria repensar melhor suas estratégias e objetivos para conseguir os resultados esperados.Minha crítica é construtiva sempre,não quero ser exemplo de nada,pois cada indivíduo é um ser único.Minha superação é pessoal e a satisfação também.Como você também sou trabalahador e tenho minhas responsabilidades,por isso tenho que ser disciplinado acima de tudo,pois meu dia começa ás 4:00h da manhã para treinar,faça sol ou chuva.E depois vou trabalhar como qualquer ser normal.Bom essas são minhas considerações e colocações e se DEUS quiser estarei presente em 21/25 de agosto de 2011 em PARIS-BREST PARIS(este é meu projeto de superação pessoal aos 51 anos).
    Abraço
    Paulo Albuquerque(aprendiz)!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Ivan!As derrotas fazem parte da vitoria! Vc é referencia para muitos!

    ResponderExcluir
  5. Ivan, grato aí pelo seu relato. Relatos sinceros e de pessoais normais como a gente são sempre uma fonte de aprendizado. Como superar o desgaste físico e mental pela insolação em pedais de longa distância? Um grande abraço, Sebastião Wilson.

    ResponderExcluir
  6. AÍ GALERA! TUDO É O COMECO E TUDO É APRENDIZADO MESMO!!!EU POR EXEMPLO,NÃO ME DESTACANDO COMO ATLETA E SIM COMO UM APAIXONADO POR CICLISMO E POR DISTANCIAS CADA VEZ MAIORES, JÁ SOFRI MUITO POR TENTAR CONQUISTAR MEUS OBJETIVOS(PESSOAIS)!MINHA PRIMEIRA AVENTURA DE BIKE FOI FAZER A ROTA NILÓPOLIS-PETRÓPOLIS HÁ DEZ ANOS ATRAS. QUASE FOI UM FIASCO TOTAL:SUBI A SERRA A 5 KM/H E CHEGUEI A PETROPOLIS COM O DOBRO DO TEMPO QUE CHEGARIA HOJE!VOLTEI PRA CASA TÃO CANSADO QUE DORMI DAS 16:00HS ATÉ AS 7:00HS DO DIA SEGUINTE. EM OUTRA SITUAÇÃO(COMO SE JÁ NÃO TIVESSE BASTADO)CISMEI QUE IRIA FAZER NILÓPOLIS-SÃO PAULO EM 24 HS(ISSO HA 10 ANOS ATRAS SEM A MENOR NOÇÃO DE PREPARO FÍSICO)SAÍ DE CASA AS 4:00HS DA MANHÃ NO SÁBADO E CHEGANDO A VOLTA REDONDA AS 10:30HS DA MANHÃ ME DEI CONTA DE QUE ESSA LOUCURA NÃO IRIA DAR CERTO(NA ÉPOCA NÃO MINHA FAMÍLIA NÃO PUDIA NEM IMAGINAR QUE ISSO ROLAVA POIS USAVA O SÁBADO COMO SE FOSSE UM DIA MEU DE TRABALHO)COMECEI A VOLTA PRA CASA POREM CHEGANDO A NOVA IGUAÇÚ COM UM SOL DE 40 GRAUS ,CARACA,QUASE CAIO COM A BIKE,SÓ ME LEMBRO QUE LITERALMENTE TRAVEI!!!MEU CORPO NÃO RESPONDIA,COMECEI A GRITAR FEITO UM LOUCO,SENSAÇÃO TERRÍVEL!!!FIQUEI MAIS DE MEIA HORA PARALIZADO NA VIA DUTRA ATE PODER VOLTAR PEDALANDO.MAIS AINDA,MES PASSADO,TENTO MAIS UMA VEZ CHEGAR A SAMPA,DESSA VES ATÉ BANANAL(RJ 157)NÃO ME PREPAREI COMO DEVERIA,ME AFOBEI,PEGUEI UM SOL DE 35 GRAUS,RESULTADO:PASSEI MAL EM VOLTA REDONDA!!!TRAVEI ,NÃO CONSEGUIA FICAR EM PÉ E FUI LEVADO DE AMBULÂNCIA ATÉ UM POSTO DE ATENDIMENTO EM VOLTA REDONDA(AGRADECENDO A TODA A EQUIPE DA POSTO MÉDICO DO SOS DUTRA EM V.R.)FICANDO EM OBSERVAÇÃO POR QUASE 4 HORAS ATÉ PODER VOLTAR PRA CASA!!!HOJE POSSO DIZER QUE DOMINO A AREA DE NILÓPOLIS-V.R ATÉ BARRA MANSA!!!AGORA BUSCO DOMINAR A AREA ATÉ ITAPERUNA QUE É O FIM DO ESTADO DO RIO E INÍCIO DE SAMPA!!!PARA ISSO ESTOU ME PREPARANDO FISICA,PSICOLÓGICA,EMCIONALMENTE E PREPARANDO TAMBÉM MINHA MÁQUINA PARA 2011!!!MUITO MAIS CONQUISTAS VIRÃO E AMBULÂNCIA NUNCA MAIS PELO AMOR DE DEUS!!!QUEM PEDALA JÁ DEVE TER TIDO ESSA SENSAÇÃO DE ESTAR EM UMA AMBULÂNCIA.VAMOS COMBINAR ;É HORRÍVEL!!!TOMAR SORO ENTÃO:NINGUÉM MERECE!!!MAS ENFIM,AGORA ESTOU MAIS FORTE DO QUE NUNCA MAS TUDO ISSO FOI GRAÇAS A TODO ESSE SOFRIMENTO E APRENDIZADO QUE PASSEI!!!IVAN,2011 VEM AÍ ,GARRA E DETERMINAÇÃO PARA SUPERAR DESAFIOS E QUERER CADA VEZ MAIS!!!QUEM É CICLISTA NUNCA DESISTE!!!!VAMOS COM TUDO E ESPERO VER COMENTÁRIOS E RELATOS DE SUAS NOVAS VITÓRIAS!!!UM ABRACO DESSE ADMIRADOR E AMIGO AINDA DESTANTE!

    ResponderExcluir
  7. Olá a todos, obrigado pela compreensão e retorno, eu quero dizer a Paulo que, reforçando, eu nunca inferiorizei ou busquei dar a entender isto, em relação a provas Audax Rio e Fecierj (como disse, também participei de competições como a Volta de Botafogo). Não, não busco ser uns dos primeiros, mas no mundo competitivo, você TEM que mostrar sim, serviço, para ser alguma coisa. Eu divido atualmente uma vida de trabalho (como Paulo, acordando bem cedo), com a vida de ciclismo, e posso dizer que, se a vida fosse mais fácil, e houvesse incentivo, eu viveria mais do ciclismo, não pela saúde e pela sensação de completar grandes viagens, mas pela proximidade com a natureza, e com a melhoria de vida pós-viagem (você fica leve e executa atividades, como que com uma super energia, que perdura por até 1 mes depois). Quanto a minha falta de preparação especial (educador físico, assessorias), é mais por carência de $$ mesmo, mas não vou deixar de aprender, pedalar e ter , quem sabe, minha própria assessoria (ou eu mesmo), tendo humildade e dedicação com minha área do ciclismo. Não sou deselegante com assessorias, eu apenas NAO VOU DEIXAR DE PEDALAR por falta delas. Eu luto. Com o que me for possível. Enfim, não desistiremos nunca, como ser humano e como idealizador. Nós brasileiros precisamos NOS UNIR, por mais diferenças de atitudes e 'gene' que exista, pois lá fora, somos pouco expressivos (Paris Brest Paris, desde 1891, só teve 10 brasilerios que completaram, ou nem isso).

    Uma vez que chegamos (todos, audaciosos dos 200 aos 1200) a esta área da longa distância (e vemos que É POSSÍVEL chegar mais longe), a gente, logicamente, vai lutar para conseguir, pois é mais que uma superação pessoal. É algo que muda uma vida inteira. É mais intenso que uma catarse, ou uma cura interior. Mexe com a vida inteira! Um grande abraço, a luta vai continuar, e continuo repetindo, de MTB é diferente, eu vou bem mais longe e chego bem (mas aqui já é algo de mim, que eu tenho que analisar comigo mesmo).

    Sobre Ronaldo, já passei por tudo que ele passou, em 2005. Não tinha ninguem comigo. E muitos me chamavam de louco. Para você ver....todo começo é assim mesmo. NÃO DESISTA, RONALDO, e valorize o ciclismo como extensão de uma vida melhor. É por aí!! Abrs!

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.