sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Candidatos à Medalha do Espírito Randoneiro 2008

Seguem as primeiras histórias recebidas pelo Clube Audax Rio sobre solidariedade praticada na temporada de 2008. Naquele ano somente um Brevet de 200 km foi realizado, o primeiro urbano do país. No total  42 atletas alinharam pra largada do 200 e 27 completaram a prova em que choveu o dia todo.
Estas são as suas histórias que indicam o Daniel Uram e o Francisco Otoch para a medalha.
_______________________
Relato do Daniel Uram
Foi um dia especial pois era o nosso primeiro Audax no Rio e todos estavamos contentes em participar e apoiar a iniciativa do Eduardo nessa modalidade. Infelizmente chuveu o tempo todo e muitos acabaram saindo por motivos técnicos, principalmente a falta de freios ao descer a serra em baixa velocidade devido a pista molhada. Ando em uma reclinada que no plano é muito rápida mas na subida tem a desvantagem de
ser mais lenta e por isso fiquei um pouco para tráz do Marcos Lima, João Elias e Guerreiro que pelo melhor desempenho nas reclinadas deles adiantaram na subida.
Quando finalmete desci a serra achei os 3 parados ajudando o Guerreiro que tinha derrapado e caido pois estava usando pneus lisos e isso com o piso molhado foi um desatre, quando percebi a situação calculei que se fosse continuar o percurso poderia ter problemas na descida do Joá pois meu freio estava no fim, trocar as pastilhas seria uma solução mas como tinha andado devagar na subida e atrapalharia os outros tomei a decisão de desistir e ficar com o Guerreiro liberando o Marcos e João que tinham tudo para acabar a prova sem problemas, o que ocorreu.
Guerreiro e eu ficamos em frente à Rede Globo (no Jardim Botânico) esperando a esposa dele que viria de carro apanhá-lo. A ajuda foi natural e nenhum momento achei que se fosse ao contrário ele não faria o mesmo, o Audax era o primeiro de muitos, agora ajudar um amigo e dar o apoio para ele não desistir futuramente não teve preço.
____________________
Aí, sou eu o Sergio Guerreiro:

É verdade ainda lembro o acontecimento. Deu muito trabalho àquele acidente.
Fiquei uns 6 meses para me recuperar. Quebrei o tornozelo esquerdo.
Tudo superado, mas não ando de reclinada em Brevets naquela área. Se chover paro e esvazio os pneus.
A paciência do Daniel Uram foi tremenda. Estava com muita dor e bastante arranhado.
O João Elias e o Marcos também ajudaram, prosseguiram depois de estar tudo bem.
O Daniel ficou comigo até o final. Valeu Daniel, estava sem rumo e cansado.
____________________
Aquela prova foi especialmente difícil devido à chuva, que durou mais de 24 horas e se fez presente desde antes da largada e foi até após a chegada. Após passarmos pelas Paineiras, encontramos o Otoch acidentado (todo ralado e com a bike quebrada); ao entrarmos na Estrada da Vista Chinesa, o Guerreiro levou 2 ou 3 tombos, assim, do nada. No último deles, estávamos devagar e o Guerreiro ía à nossa frente, era um trecho reto e ele se desequilibrou e caiu, quebrando o tornozelo. Dor, não conseguia pisar e nem pedalar; foi uma descida lenta e cuidadosa até a Gávea. Já passava das 11 horas e o Duram decidiu ficar com o Guerreiro para esperar o resgate e incentivou a mim e o Marcos Lima a continuar na prova, que para nós passou a ser um contra-relógio, devido ao avançado da hora. Essa medalha ao Duram é mais do que merecida. Outro que merece ser citado é o Otoch, que mesmo acidentado se integrou à equipe de apoio e foi até ao final da prova, colaborando na superação das adversidades que não eram poucas devido àquela chuvarada.
João Elias

Um comentário:

  1. Na época, escrevi um relato sobre aquele Audax. Foi mesmo um dia bem molhado!

    http://www.cronicasdebicicleta.com/speed/audax-rio-200-km

    Abraços,
    Vinícius

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.