terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Relato do Cezar Barbosa - Brevet 200 km

2010: Ano Novo de Audax, nova Organização, por isso uma nova maneira de iniciar um relato. Quando recebi a noticia de que a Organização do Audax-Rio estava sendo mudada, não fiquei surpreso, pois há algum tempo já havia conversado com o Edu a respeito dessa mudança. Devido a sua imensa carga horária de trabalho, ele não iria dar conta de continuar organizando o evento, sendo assim decidiu passar o bastão. Quando chegamos com nossas bikes para iniciar a prova, não damos conta do tamanho do esforço que foi feito para que a largada seja realizada, pois existem milhões de barreiras a serem ultrapassadas, portanto quero agradecer aos Organizadores e voluntários por terem nos proporcionado esse grande momento de Felicidade.
                                 
    Ultimamente minha maior dificuldade para participar das provas do Audax tem sido a minha escala de trabalho e quando acessei a pagina do Audax-Rio para ver o calendário de 2010, fiquei certo que poderia participar da primeira prova do Ano. Sendo assim me limitei ao velho habito de treinamento subindo Paineiras e indo ao Recreio molhar minhas plantas. Com a certeza de que já conhecia o percurso, e sabendo que não iria enfrentar tanta dificuldade, fiquei aguardando o tão esperado dia.
    
A temporada do Audax estava começando bem, medindo a temperatura pelo comparecimento dos audaciosos na primeira reunião feita pela Organização para a passagem do bastão e um bate papo para explanar o que é uma prova de Audax.
    
  O primeiro passo foi dado e as inscrições começaram a ser feitas, e por onde eu passava de bike sempre tinha alguém perguntando sobre a prova, isso me animava muito porque cada vez mais crescia a certeza de que nós estávamos revivendo a prova do Audax-Rio. A data do encerramento das inscrições estava marcada para o dia 15/01, no dia seguinte estava marcada a entrega dos kits e um Feed Back sobre o itinerário, comportamento no trânsito e o Futuro das próximas provas. Após tudo explanado os grupos foram retirando seus Kits e partindo numa alegria imensa, como aquela criança que fica sonhando com o dia de seu aniversário para ganhar presente. Eu estava com um grupo de 5 ciclistas e resolvemos parar no Bar Frango Veloz, em frente ao Shopping para comemorar bebendo um chopinho.
   
  Mas as comemorações não param por ai, porque marcamos uma ida a uma Pizzaria para comer massas e adquirir Carboidratos para o pedal no Domingo, formamos um grupo grande e para acompanhar o jantar, consumimos 4 garrafas de vinho e alguns chopes, por pouco não fomos convidados a nos retirar do recinto por comer muito. Assim seguimos para casa após o encontro gastronômico, deixando combinado que nos encontraríamos as 04h45min na Rua do Catete em Frente à Delegacia.
   
  Nosso grupo estava formado por 6 audaciosos Eu, Maguila, Carlos Gordo, Gabriela, Professor e Ivan, saímos às 05:15 hs com um pouco de atraso porque o Maguila teve que ir em casa buscar seu colete e assim que ele chegou partimos em fila indiana com os faróis e piscas ligados em direção ao Shopping Tijuca. Nosso caminho foi pela Lapa e lá a Night ainda estava fervendo. Quando passávamos pelos grupos de malucos éramos ovacionados, alguns gritavam algumas gracinhas, mas a verdade é que no fundo eles estavam nos admirando pela bravura de estarmos em cima de uma bike e não nas bebedeiras como eles àquela hora da madrugada.
   
  A largada foi as 06h10min da manhã e tivemos que acompanhar o carro de apoio ate o final da Avenida Rio Branco, durante esse trajeto os audaciosos iam todos juntos e como o carro de apoio ditava a velocidade, os grupos iam se distanciando aos poucos. Assim que o carro liberou a partida, os audaciosos velozes partiram em disparada rumo ao primeiro Pc que estava no posto de gasolina no alto da Boa Vista. Minha bike estava desenvolvendo bem no Plano e eu sabia que iria perder um pouco o ritmo na subida e por isso fui acompanhando o primeiro pelotão. Quando cheguei à Rua Alice para subir Paineiras estava na liderança e aos poucos eu começava a ficar para trás, mas isso não me preocupava, porque sabia que depois o percurso iria melhorar. Minha média horária na subida estava em torno de 10 km e fui seguindo assim junto com o Maguila e a Gabriela. Mas aos poucos eles iam se distanciando cada vez mais e quando cheguei à Ladeira nervosa do Mirante Dona Marta encontrei a Gabriela descansando, fiz um rápido pit stop e subimos juntamente com a Tatiana e Ana Lucia que iam fazendo uma festa. Aos poucos fomos nos distanciando e seguimos até a Cachoeira, onde fizemos uma parada para um banho refrescante.
         Nosso banho de Cachoeira não foi demorado, mas tive que apressar a Gabriela porque o tempo estava correndo e ainda tínhamos um longo caminho a seguir, assim vestimos nossas indumentárias e partimos para o PC 1. Nossa chegada ao PC 1 foi por volta das 08:40 hs e fiz uma parada rápida para ganhar tempo e fugir dos mosquitos borrachudos que estavam fazendo a festa nos audaciosos. Os voluntários do PC já haviam se familiarizados com eles por causa do repelente, mas apesar disso tudo a festa estava linda, fila organizada para carimbar o passaporte, bate papo para contar as dificuldades, água e alimento para revigorar o corpo. Às 09h00 estávamos saindo em direção ao Pc 2 que estava no Recreio, saímos formando um pelotão de 3 ciclistas, eu Gabriela e Carlos. Na verdade eu queria ter saído antes, mas como a Gabriela estava com medo de errar o caminho me pediu para ir junto com ela até o PC 2 do Desafio 100 que ficava na Praça do Ó, assim seguimos pelo Alto em direção à Vista Chinesa. O clima estava maravilhoso por isso comecei a imprimir um ritmo mais forte porque sabia que as subidas eram mais light, para não desanimar os audaciosos sempre dizia que a mesa do Imperador já estava chegando “um logo ali de Mineiro” e fomos seguindo apreciando a Natureza.
                                 
Assim que saímos do PC 1 havíamos sido alertados de que tinha uma árvore caída na estrada e isso nos deixou um pouco em alerta. Quando passamos pela mesa do Imperador começamos a descer com muita cautela fazendo uma descida suave até o Jardim Botânico. Daí pra frente tudo parecia mamão com açúcar porque estávamos pedalando no plano, teríamos pela frente a subida da Niemeyer e o pequeno picadeiro do Joá, e assim com embalo que descemos a Vista Chinesa passamos batido pela Niemeyer e só fomos reduzir o ritimo quando chegamos ao Picadeiro.
        
O sol estava a Pino quando olhei para trás percebi que o Carlos havia parado e a Gabriela continuava numa média de empurrar a bike porque havia sentido cãimbra, mas eu gritei para ela não desistir. Mais à frente estava o Guerreiro lutando contra a parede que sua visão mostrava, comecei a gritar pra ele ir em frente e que estava faltando pouco, na verdade quando eu estava gritando para eles não pararem e irem em frente, eu também estava buscando forças para não deixar minha visão enxergar uma parede à minha frente. Eu já tinha certa intimidade com o Picadeiro do Joá por isso fui apenas girando, girando até chegar ao topo. Após isso fiquei aguardando a Gabriela chegar e seguir com ela até o PC 2 do Desafio. Quando deixei a Gabriela no PC já eram 10h30min e a ciclovia estava cheia de transeuntes fazendo com que meu pedal fosse mais lento, mas como o vento estava ajudando consegui chegar bem no PC 2 encontrando a galera que havia se distanciado nas subidas. 
        
 A recepção da minha chegada no PC 2 foi maravilhosa, pois as meninas estavam todas a postos e por eu estar de reclinada fui favorecido com um tratamento vip por parte da Inglid recebendo água e guaraná. Após receber meu passaporte carimbado parti juntamente com o Professor. O percurso já estava todo plotado na minha mente, eu estava me sentindo em casa porque estava pedalando na área do Recreio. Por isso sai ditando uma média de 30 km/h. Minha meta era alcançar o Maguila para seguirmos juntos nessa mesma média. Mas quando entrei na Avenida das Américas em frente à minha Rua os meus tormentos começaram. Furei o pneu próximo ao Supermercado Zona Sul e parei para fazer a troca, falei para o Professor seguir que depois eu o encontraria, fiz a troca rápida e parti sozinho imprimindo a mesma média de 30 km/h. Quando cheguei antes da virada do Down Town, Puff.... Furei novamente, olhei a hora e pacientemente sentei no chão para trocar o pneu, quando passou o pelotão formado por Tatiana, Ana Lúcia e Vinicius, falei que estava tudo bem e repeti as palavras que havia dito para o Professor. Mais uma vez fiz a troca e segui fazendo o retorno por baixo do viaduto quando cheguei em frente ao Café Etílico, Puff... Furei novamente, dessa vez a câmara havia rasgado com a pancada no buraco, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi jogar a toalha, mas quando olhei para o relógio ainda eram 12h15min, como estava próximo do Barra Shopping decidi empurrar a bike até a loja da Bike Tech. Nesse ínterim fui empurrando a bike pela calçada da Avenida das Américas, do outro lado da Rua avistei o Ivan passar, mas como o meu pneu furado era aro 20 não quis chamá-lo porque ele não poderia me ajudar. Eis que apareceu o Alan juntamente com o Otoch que me deu uma câmara e seguiram em frente, como eu já estava próximo fui até a loja e pedi para eles trocarem a câmara e darem uma olhada para ver o que estava acontecendo, enquanto isso fui até a casa da Empada fazer uma boquinha, aproveitei e comprei uma caixa para viagem pensando nas meninas do PC. Quando retornei na oficina, para minha surpresa o mecânico me mostrou um pedaço de metal que estava no Pneu. Paguei a câmara trocada e voltei por dentro do shopping para a prova e assim que entrei na Rua, Puff... Furei de novo, parei no meio fio, sentei e comecei a pensar besteiras achando que deveria abandonar a prova porque tudo estava dando errado e o que estava acontecendo era um aviso, nesse momento passou um audacioso oferecendo ajuda, mas falei que estava tudo bem, e para contrariar a nuvem negra, troquei o pneu e segui em direção ao Autódromo. Daí em diante eu comecei a andar com mais cautela, o sol estava a pino e não conseguia encontrar nenhum audacioso nas ruas, isso só me desanimava e comecei o meu pedal solitário lutando contra o desânimo. A fome já me consumia e quando entrei de volta na Avenida das Américas parei na casa de frutas, pedi uma água de coco e um pedaço de melancia, quando olhei para o relógio já eram 15h00, liguei para o telefone da Carol e ela me falou que o PC encerrava às
16h00, assim engoli tudo às pressas e pedi licença para pagar minha conta e sair em disparada em direção à Estrada dos Bandeirantes lutando contra o relógio.
Minha luta para chegar antes do PC fechar era imensa, houve um momento que o carro da Amazonas Bike passou bem lento na estrada e por pouco não pedi arrego. Fingindo não ver o carro continuei minha luta, apesar do tempo não parar sabia que chegaria a tempo caso não furasse o pneu novamente, às 15h45min eu estava chegando ao PC 3 para carimbar o passaporte com um álibi fortíssimo (Empadas) caso o PC estivesse fechado. Rsrsrsrs.
              Quando cheguei ao PC 3 encontrei Otoch e Allan. E Edu estava a caminho e pedimos a Carol para ligar e saber onde ele estava, mas ele pediu pra não esperar porque ainda estava muito longe, assim seguimos formando uma trinca audaciosa. O vento soprava contra, a ciclovia estava cheia e o assédio por nossas bikes era grande, então tivemos que circular pela ciclovia com muita cautela. Às 16h40min estávamos fazendo uma parada no Canal de Marapendi, onde aproveitamos para aditivar nossos corpos com Red Bull e partimos para enfrentar a subida do Joá. A subida era muito dura, mas sabíamos que o sofrimento estava acabando e por isso seguimos em frente sem tomar conhecimento dela. Agora só nos restava a Niemeyer, com bravura seguimos até o PC 4 no Mirante do Leblon. Ao chegarmos encontramos o Ivan e fomos surpreendidos pelo tempo, tínhamos apenas 40 minutos para chegar até o PC 5 na Lapa. Saímos com o pelotão formado por 4 audaciosos e o assédio na ciclovia aumentava porque estava mais cheia, quando chegamos em frente ao Othon Palace tivemos que vazar para a pista porque estava vindo um bloco e como o Otoch e Allan estavam mais atrás tiveram que esperar um pouco para não entrar na folia. Chegamos ao PC da Lapa dentro do tempo e só nos restava seguir até o Shopping Tijuca.
        O dia ainda estava claro e nós estávamos de volta à Lapa, mas agora com nossos corpos suados e cansados retornando de uma grande batalha onde muitos Audaciosos sobreviveram, seguindo pelo Estácio pude encontrar o pelotão formado pelo Professor, Tatiana, Ana Lucia, Jefferson, Clemar e Alexandre que demonstraram muita alegria ao me ver, e eu retribui essa alegria para eles com o Pensamento longe de que fiz valer o que havia dito para eles ao longo da estrada. 

  “Podem seguir que depois encontro vocês, nem que seja na chegada.”
                                    
                                                                            Cezar Barbosa

6 comentários:

  1. CEZAR BARBOSA PARABÉNS PELA GARRA E DETERMINAÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Grande Cezar, vc me deu a maior força na hora que eu duvidei que conseguiria, continui assim contagiando o todos por onde passas, a partir do PC 02 voltei todo caminho junto com a Gabriela, suber bacana, excelente compania.
    Espero acompanha-lo em outros pedais.
    Um abraço.

    Arthur Neto.

    ResponderExcluir
  3. Cezar o guerreiro dos Audax!

    Abçs

    Bruno Pacheco

    ResponderExcluir
  4. CEZAR, GOSTARIA DE PARTICIPAR COM VOCÊS DO PRÓ XIMO BREVET 200KM, DO DIA 14/3/10 ACONTECE, QUE MINHA BIKE É UMA SPEED, E SEI QUE DENTRO DESSE PERCURSO TEM 90KM DE ESTRADA DE TERRA SINTO MUITO AINDA NÃO VAI SER DESSA VEZ, ENQUANTO ISSO VOU TREINANDO, ATÉ O PRÓXIMO BREVET 200KM.UM GRANDE ABRAÇO PARA TODO O PESSOAL DA EQUIPE.
    ROBERTO VALLE

    ResponderExcluir
  5. fala cesar parabens pode contar com a presença feminina para 200km niteroi estaremos la felizes com muita energia para mais um desafio que se transforma em fortalecimento interior
    um abraço

    ana lucia moraes

    ResponderExcluir
  6. Valeu Cezar !!! Só agora estou lendo estas suas palavras, e ainda rola aquela emoção da superação ... formamos um bom grupo, e estaremos juntos em mais um desafio, com as lindas paisagens daquelas praias na região dos Lagos. Abraços. Clemar.

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.