quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Relato da Reane - Desafio 100 km

Segue abaixo relato com sugestões da Reane e as respostas do Audax Rio.
------------------------------------------------------------
Bom dia, Thiago e todos os colaboradores deste Audax!
Gostaria primeiro de tudo elogiar a organização que achei excelente para uma primeira vez. Tenho certeza que os próximos serão melhores ainda.
Por isso farei aqui alguns pequenos comentários no intuito de contribuir para um Audax sempre melhor que o anterior:
- No primeiro PC acaba acumulando muita gente. Seria bom se tivessem mais pessoas marcando os passaportes, ainda mais com aquela mosquitada nos devorando na fila. Eu fiquei bem uns 10 minutos na fila;
Audax Rio: Sugestão anotada.

- Ver como viabilizar banheiro nos PCs. No caso do desafio 100, só tinha no PC 1. Na Barra (PC 2) me falaram para ir na padaria, só que lá eles não deixaram e acabei perdendo o maior tempão catando um banheiro para fazer um pipi antes de prosseguir. Quem sabe podia fazer um combinado com algum bar, restaurante, posto, etc... ou banheiro químico, se não tiver outro jeito;
Audax Rio: Isso é bem complicado. A padaria em questão nunca se opôs a receber qualquer pessoa pra ir ao banheiro. A negativa deles é uma novidade pra nós. De qualquer maneira o ciclista está num passeio individual e no audax urbano é até bem fácil de encontrar bons banheiros fora dos PCs. O mesmo não ocorre quando a prova é na estrada.

- Fazer um descritivo, além do mapa, mais detalhado de alguns pontos. Por exemplo, eu fiquei perdidinha lá perto do MAM / Aeroporto e até agora não sei se fiz o percurso correto até porque no mapa está marcada a via e não a ciclovia. Eu via que estava junto ao viaduto do Aeroporto mas tive que ficar procurando a saída da ciclovia para pegar a via de carros;
Audax Rio: A sugestão do descritivo, ou planilha, é boa, mas pra esta prova os atletas sabiam de antemão (sexta-feira) que a orientação seria via mapa e bikely. A rota foi divulgada com muitos dias de antecedência, o que não é prática comum nos clubes audax brasileiros, mas permite até treinar no percurso. A responsabilidade por se orientar é dos atletas e a organização deu subsídios suficientes para isso.

- Havia alguns erros no mapa do Bikely inclusive próximo a chegada, que estava marcada pela Rua José Higino e era pela Pereira de Siqueira. Eu só vi isso na hora por causa da pintura do Audax no chão da Conde de Bonfim e logo a seguir na Pereira de Siqueira. No mapa de papel essa rua está sem nome. Como cheguei a 9 minutos do tempo final, se eu fosse pela José Higino poderia ter perdido a hora...
Se quiserem ajuda na marcação de futuros mapas podem contar comigo pois é uma coisa que eu gosto muito de fazer e faço legal pois sou muito detalhista.
Audax Rio: O trajeto do Desafio era igual ao do Audax em vários trechos, mas a chegada era pela Conde de Bonfim virando na Pinto de Figueiredo. Esse erro é verídico. No entanto a Pereira de Siqueira não está na rota e sua mão é no setido inverso ao da prova.

- Rever a questão da ciclovia com a Prefeitura. Até Botafogo, pelo menos no horário que eu passei foi razoável, mas no Flamengo foi horrível. Os não-ciclístas simplesmente não respeitam a ciclovia e tinha até gente com isopor parado nela. O movimento de gente é tão grande que o risco de um acidente acaba sendo muito maior do que se estivéssemos na pista fechada do Aterro onde a área de escape é muito maior. Poderia separar uma faixa da pista para o Audax, sei lá...
Audax Rio: Isso é impossível. É determinação da PM e condição irrefutável pra darem autorização. A questão da ciclovia é uma dificuldade da cidade, como são os buracos, os motoristas mal educados...

- Esse Audax urbano podia ser fora do Verão. Os 100 até deu mas 200....
Audax Rio: O Brevet 300 km de 2009 foi realizado no inverno, no início de agosto, justamente por conta do calor do verão e os atletas pegaram mais de 35º C durante o dia... Lamentamos muito, mas calor é inerente ao meio ambiente da cidade e não podemos mudar isso.

Bom pessoal, acho que é isso.
Para finalizar gostaria de compartilhar com vocês a minha felicidade desta conquista que foi fazer esses 100km e sentir que posso fazer mais.
Abraços,
Reane

2 comentários:

  1. A questão da ciclovia no Aterro do Flamengo, de fato, é crítica, em especial pq ela é a única do Rio que, ao invés de "compartilhada" entre ciclistas e corredores, possui na verdade, PREFERÊNCIA PARA O PEDESTRE!!! Pedestre e não corredor! Vale a pena pleitear com a prefeitura... ela reserva a pista do Aterro para provas de corrida de rua, por que não para provas de ciclismo??

    ResponderExcluir
  2. Na realidade o Aterro não tem e nunca teve ciclovia. Ali sempre foi 'faixa compartilhada', ou seja, a preferência é mesmo dos pedestres. O mesmo ocorre na Lagoa Rodrigo de Freitas.

    Quanto a reservar a pista do Aterro, isso não é possível. Primeiro que a prefeitura não autoriza dois eventos no mesmo dia e raramente não há prova de corrida de rua.
    Segundo que as regras internacionais do Audax excluem o uso de pistas exclusivas. Cada participante vai pra rua como se estivesse num passeio individual. Portanto tem que usar a infra-estrutura de deslocamento existente. Se ela é ruim, faz parte do desafio deste evento e as reclamações podem e devem ser feitas diretamente com a prefeitura, já que eles são os responsáveis por garantir mobilidade adequada à população não importando o veículo que que as pessoas preferem.

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.