sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Relato Audax 300 Paulo Albuquerque

O Paris Brest Paris (PBP) é um evento de ciclismo de longa distância que se realiza a cada quatro anos e consta de 1225 km de distância, 9539 metros de subidas acumuladas e de até 90 horas totais para ser realizado. Organizado pelo Audax Club Parisien (ACP), este evento de ciclismo, predecessor do Tour de France, acontece desde 1891 e é o mais antigo que ainda se realiza. Tratava-se anteriormente de uma corrida profissional e hoje é a prova de maior prestígio, dificuldade, tradição e participação do ciclismo amador internacional. Para qualificar-se, cada participante teve que completar a série de Brevets do Les Randonneurs Mondiaux (braço internacional do Audax Club Parisien), que certifica todos os brevets. Pedaladas de 200, 300, 400 e 600 km. No Brasil, oficialmente desde janeiro de 2003, existe o Clube Audax Brasil (CAB), instituição filial do Les Randnneurs Mondiaux (LRM), que é o único clube autorizado no país e, por enquanto, em toda América do Sul, para qualificar ciclistas para o PBP.
--------------------------------------------------------------------------------------------
Paulo e Alexander se concentrando para a largada à meia-noite.

9 de agosto de 2009, (Dia dos Pais) são 23h47m, concentração em frente à Estação das Barcas de Niterói para os últimos detalhes sobre o evento, tais como PCS, ponto de apoio, segurança, rota e fechamento dos horários. Eduardo anuncia partida em 1 minuto. Vamos colocar em prática a estratégia então planejada, ficar acima dos 25 km de média em pouco mais de 300 km pedalados. Saímos todos com o objetivo de completar os 300 km.

1º PC 41 km (RIO BONITO): Chegada 01h38m. Alguns audazes já estavam presentes, como era o único PC com apoio vamos aproveitar e hidratar bem antes de seguirmos para o PC2 no km 86,4 (REDE GRAAL na VIA LAGOS). Não poderia deixar de agradecer ao HENRIQUE, GLEDSON e RENATA pelo apoio nesse PC, e outros que possa não ter citado, faltava ainda um de nossos amigos que estava a caminho. Alexander e outro que segundo informações teve um pneu furado. Telefonei à procura e eis que chega nosso amigo, então vamos continuar nossa jornada. A partir desse momento o grupo começa a se dividir, o que já seria natural por conta da performance de cada um e não de qualquer competição que segundo os bastidores já estaria rolando no grupo de ELITE. Posso dizer até que os Deuses nos ajudaram na prova durante a noite pela iluminação natural... que lua meu amigo! Ainda tive a companhia de alguns audaciosos durante a noite, show!

Chegada ao PC2 04h22m. Hora de comer alguma coisa com mais sustância pois a madrugada iria ser o pior percurso em função do nosso horário, melhor estar bem alimentado para encarar essa jornada. Começam a chegar alguns audazes, todos unânimes sobre a noite maravilhosa que contemplávamos, uma presença inesperada de apoio aparece, o pai do Ivan, posso dizer uma pessoa maravilhosa, espirituosa, falante e amiga, um gentleman, podesse dizer um paizão (Ivan, este sou eu do email da discórdia). Seu pai ainda fez a gentileza de emprestar o casaco a um amigo meu Alex, que estava fazendo a prova sem nenhum compromisso, só por estar ao lado dos seus amigos e apurar as dificuldades da jornada. Vamos em frente para o PC3 129km(SILVA JARDIM).

O dia vinha amanhecendo muito bonito por sinal, névoas conforme citado pelo Ivan em alguns percursos, corpo cansado, não tanto pela distância, mas pelo nosso relógio biológico, e sabíamos que ia fazer um sol de rachar, então vamos pedalar! Quanto mais rápido for menos doloroso. Chegada ao PC3 06h58m. As pernas já começavam a sentir um pequeno cansaço, por ter havido feito naquela semana a Escalada Serra Mar e ter puxado no treino durante a semana. As câimbras estavam para acontecer a qualquer momento, então fizemos uma parada maior para alongar, tomar um bom café da manhã e prosseguir, pois ainda não estávamos na metade do caminho, o dia iria ser longo e o sol a pino. Após um bom descanso partimos para PC4 212 km (Cachoeiras de Macacu), e posso dizer que esse trecho foi o mais desgastante para todos por uma extensão maior do que os outros e por causa do sol. Sugestão: ano que vem quebre esse percurso em dois porque será menos doloroso. No caminho fiz uma parada estratégica para comprar água de coco, pois além de hidratar é um bom soro também e já sentia um pouco da resistência caindo, ainda não sabia o que havia por vir. Continuando até o nosso objetivo que era o PC4 as longas e intermináveis subidas estavam desafiando nossos limites. Mas não adianta chorar. Passados 2/3 do percurso estávamos chegando ao nosso destino.

Chegada ao PC4 11:00AM. O corpo já dava sinal de cansaço e muitas dores na panturrilha devido ao esforço das provas anteriores, sabia que isso poderia acontecer quando fui fazer a prova então tinha que dosar minha condição física a qualquer preço. Mais uma vez alongamentos hidratação, proteínas, carboidratos e lá vamos nós de novo para a estrada. Pensava eu 'agora só mais 100km'. Lêdo engano iria ser uns 200km, só pela dificuldade.
PC5 256 km Kioske do Alemão. Caminho de volta para casa, Rio de Janeiro. Chegada ao PC5 14:15m. Agora qualquer parada, mais longa seria o caos para voltar, a ordem era seguir em frente em no máximo 10minutos. Ainda encontrei os 1º colocados (exceto os 2 primeiros que já havima terminado) no último PC descansando. Hidratamos e seguimos em frente que a hora é essa, então vamos para a estrada. Precisava manter a média de 25 km/h que vinha fazendo para chegar no tempo pré-estabelecido por mim, esse era meu desafio pessoal planejado antes da prova. Ao longo do caminho cruzo com dois audaciosos do desafio 170 km. Segundo o fiscal Guilherme, são os 2 primeiros colocados. Show de bola também duas simpatias de pessoas, e viemos junto durante o caminho até o PC6, vide foto com nosso amigo fiscal Guilherme! Chegada ao PC6 16h00m, cansado mais satisfeito por ter cumprido meu objetivo que era completar no meu tempo planejado!

Edson (Desafio 170), Paulo (Audax 300), Guilherme (voluntário PC 6) e Rafael na chegada a Niterói.

Eduardo, mais uma vez obrigado por fazer parte dessa família chamada AUDAX. É um privilégio para poucos! Sentirei falta de vocês ano que vem por não ter o Audax 400/600/1000 km, pelo Rio de janeiro, mas como falei a você, pretendo competir em 2011 no UCI XCO MTB categoria Master 50-54 que vai ser na França, na mesma época do AUDAX 1220 km em que só 4 brasileiros completaram a prova em 2007. Pretendo estar na lista dos que vão concluir em 2011 e ainda participar do Tour de France com o pessoal do Walter Tuche, meu preparador no último mês a quem copio este relato que será publicado no blog dele também.

Eduardo, vou chegando ao fim do pequeno relato, com o corpo ainda dolorido porque foi a primeira vez na minha vida que fiz uma distância acima dos 300 km, ainda mais começando na madrugada, mas valeu como preparação física para saber minhas limitações pessoais. Cometi um pequeno e grande pecado capital: não me hidratei o suficiente no dia seguinte à conclusão da prova e minha resistência caiu vertiginosamente. Agora estou em recuperação, faz parte do nosso aprendizado durante a vida. No mais a todos, e mesmo aos que não completaram a prova vocês são vitoriosos só em participar para saber os seus limites.
“Para mim todos vocês são campeões!”
Mais uma vez obrigados a todas que ajudaram na organização!

Um comentário:

  1. PARABÉNS PARA TODOS QUE PARTICIPAM DO AUDAX, PRINCIPALMENTE PARA VOCÊS QUE CONCLUIRAM A PROVA.

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.