segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Valorizando a experiência


Leia abaixo um pequeno relato de quem já participou de vários desafios.
----------------------------------
Quando falamos de Audax, traduzindo essa palavra associamos à coragem e determinação porque esse realmente é o espírito desse desafio tão maravilhoso, mas dentro desse espírito de luta devemos associar também a segurança, para que nós possamos concluir nosso pedal somente com as dores musculares devido à longa distância percorrida. Normalmente ao iniciarmos o Audax, após a largada os grupos mais fortes saem em disparada e isso nos impulsiona em querer acompanhá-los, mas antes de fazermos isso devemos lembrar que teremos 200 km pela frente, é preciso ter em mente que nosso corpo tem um limite, e de acordo com nosso condicionamento devemos nos agrupar aos pelotões com ritmo similar ao nosso. Normalmente conseguimos nos manter em grupo até o primeiro posto de controle (PC) que costuma ser no km 30 e quando somos calouros a nossa primeira parada é uma festa, porque conseguimos vencer a primeira barreira da prova, mas devemos nos manter alerta para não demorarmos muito após carimbar o passaporte e se alimentar, devemos sim, seguir para ganharmos tempo enquanto nossa mente ainda está trabalhando. Após seguirmos para o segundo PC, os grupos já são menores e nós precisamos usar de muita cautela para agruparmos aos ciclistas com o mesmo ritmo, isso sem esquecer do fator mais importante dessa prova: a solidariedade para com o companheiro. Sempre que você notar um audacioso necessitando de ajuda não pense duas vezes em oferecê-la, devemos estar sempre prontos para ajudar em qualquer necessidade e sempre guarnecido com nosso kit de emergência nas mãos. Na chegada do segundo Pc a festa ainda é grande para alguns audaciosos, normalmente conversamos sobre as dificuldades passadas, as belezas que ficaram para trás, os sustos que tomamos quando somos surpreendidos pelos motoristas que não tem o mínimo de respeito pelo ciclista. Eis aí um ponto que devemos ter bastante atenção, sempre ter em mente que somos fortes no pedal, mas ficamos vulneráveis pela fragilidade de nossas máquinas então devemos respeitar as leis de trânsito seguindo sempre o lado da estrada que nos oferece maior segurança, quando seguimos em grupo impomos um pouco de respeito e essa é uma boa forma de se pedalar em segurança. Quando andamos em pelotões o líder precisa estar mais atento para as adversidades, pronto para sinalizar ao resto do grupo qualquer perigo como buraco na estrada, saída perigosa de veiculo, pedestre transitando, carros suspeitos etc. Enfim, são muitos os perigos que a estrada nos oferece, mas devemos ter em mente que somos audaciosos e estamos querendo cumprir nossa missão. No terceiro estágio do pedal após ter percorrido cerca de 120 km nosso raciocínio já não é o mesmo, o corpo entra em conflito com a mente e surge a sensação de querer parar, mas lembre-se, por você ser um audacioso essa decisão precisa ser tomada por você mesmo. Você deve conhecer seus limites para não sofrer danos futuramente e devido a esses distúrbios devemos redobrar a atenção na estrada. O ciclista solitário, aquele que acaba se desgarrando do grupo e precisa cumprir sua jornada até o PC de chegada sozinho precisa estar mais atento. Normalmente quando chegamos no limite de nossa mente os perigos se tornam maiores, mas é sinal de que estamos perto de atingir nosso objetivo.

Bom pedal e Coragem

Cezar A. Barbosa

Um comentário:

  1. Já participei do Audax no Rio (200km-Itaquatiara/Bacaxá ) e o de Campinas (300 km-Campinas/Itú) em 2007, achei os dois muito legais, extremamente cansativos mais no final vale a pena. Vou adorar participar de mais este.

    ResponderExcluir

Por favor escreva seu nome ao inserir comentário.